28 de janeiro de 2009

Disco tem cotação máxima no jornal O Globo


Canções de amor para hoje.

Em sua estreia, Dois em Um visita o tema com inspiração.

Amor. É dele que falam as comoventes canções do CD de estréia do Dois em Um – o casal Fernanda Monteiro (Orquestra Sinfônica da Bahia) e Luisão Pereira (ex- Penélope). Um amor romântico, mas sem ilusões: consciente de sua fragilidade. mas sem angústia; que se abre para o melhor, mas sabe que pior (o fim) sempre pode vir. É como Fernanda canta, serena, em "E se chover?": "Qual o vestido de dançar? E se chover?".

Enfim, o amor de hoje e o de sempre. O primeiro está nos arranjos que combinam velhos e novos timbres – violoncelo dela; guitarras, violões, Rhodes, banjo, banjo, programações, moog e melotron dele. O outro sustenta os versos que combinam as mesmas palavras de novas e velhas maneiras.

Clima onírico-portishead atravessa o disco.

Os ecos, as frases do violoncelo, os andamentos lentos, a voz sussurrada de Fernanda – que dança entre Nara Leão e Beth Gibbons – criam um clima onírico que atravessa o CD. Seja na bossa nova ("Deixa"), no samba ("Quem era eu?", apenas com guitarra e violoncelo), em praias ensolaradas e bacharachianas ("Dias"), em fanfarras ("E se chover?"), no terreno de um Fernando Mendes ("eu sempre avisei") ou na psicodelia circense ("Florália").

Gravado na sala de Fernanda e Luisão (autor de todas as músicas, só ou com parceiros), "Dois em Um" (Midsummer Madness) é retrato do amor na intimidade – na percepção não voyeurística do termo. Melancolia e alegria, a primeira como disfarce da última, como diz o verso de "Do seu lado".

Leonardo Lichote - Jornal O Globo (RJ) 20/01/2009.

www.doisemum.com

Um comentário:

Tatiana disse...

Olá Fernanda e Luisão! Parabéns pelo show no Vila, foi sensacional, vcs estão ótimos. Abraços, boa sorte em tudo!